The Gig's Life
Superando Crises

Fala galera! Quanto tempo não?

Distanciei muito daqui… Mas não pretendo repetir a dose! 

Sem mais delongas, o post de hoje é sobre superar crises.

Todos sabemos que nossas vidas são feitas de altos e baixos, logo em uma banda, é impossível termos períodos absolutos de alta ou baixa produtividade. Somando um período coletivo de baixa produtividade com questões não resolvidas entre as partes do projeto, temos uma crise.

Afinal, qual é a função de uma crise? 

É claro que ela não aparece do nada. Eu defino como o resultado de pontos que deveriam ser melhorados e questões relevantes que foram ignoradas. A função de uma crise, na minha opinião, tem a ver com a forma como você encara a situação; Pois tendo sabedoria e coragem para tomar decisões difíceis, a vida  te faz evoluir. A crise veio para o bem, afinal. O verdadeiro guerreiro não é aquele que nunca cai, mas sim o que sempre se levanta, certo? :) 

Nesse momento o mais importante é a união dos membros da banda. Uma coisa que eu tenho bem clara na minha cabeça é: Sem amizade, não tem banda, só um grupo de pessoas, que se não fosse pela música, não seriam amigas. A inspiração não vêm só de outros artistas, relacionamentos ou revoltas. Acredito firmemente que a ligação entre os membros da banda é o laço mais importante, o alicerce do sonho e principal combustível pra quem quer chegar lá. 

As vezes com o passar do tempo, do aumento das responsabilidades, compromissos com família e relacionamentos; O laço é enfraquecido, de maneira bem sutil e, acreditem, isso é muito perigoso! Eu falo isso pela minha banda mesmo, não demos devida atenção a certos pontos que são importantes e tudo acumulou-se de tal forma que beiramos o término da mesma. 

Portanto, eu alerto: A amizade entre os membros da banda é a coisa mais importante. Logo, tem de ser cuidada e cultivada. Eliminem os segredos entre vocês, coloquem pra fora tudo que precisam dizer uns aos outros. Façam acordos! Lembrem do por quê vocês se juntaram em um passado talvez não muito distante pra fazer “a porra toda” dar certo! 

Uma vez unidos, em espírito e objetivo, nada poderá deter vocês, a não ser vocês mesmos. 

Uma coisa importante: Sejam maduros ao pensar no futuro como músicos de sucesso, porém sejam crianças em relembrar suas origens, suas brincadeiras idiotas e situações memoráveis! É bom esquecer por um momento o peso da responsa e cultivar tempo juntos como amigos, amigos apenas. 

Finalizando: Estejam unidos, estejam comprometidos, estejam focados e estejam corajosos! Por mais que seja foda, a graça da vida está nos obstáculos que superamos.

Muito som pra vocês !!!

Pedro Fids Quintana 

Repertório

Whoa pessoal !

Como estão ?

Hoje eu vou falar sobre um assunto que a maioria de nós falamos que damos importância mas na verdade não damos tanto assim.

Pode parecer óbvio, mas o significado de Repertório é o conjunto de peças (músicas) em um concerto (show). Então qual é a questão?

A questão é que o repertório tem que ser feito para a platéia que irá ver o seu show, e isso demanda algumas coisas que você tem que prestar atenção.

Vou usar como exemplo o último show que a banda que eu toco ( It’s ) executou ontem.

Tocamos 18 músicas, o que durou em torno de 90 minutos. Depois de decidir quais covers iremos tocar, fizemos um "gráfico" delas junto as nossas músicas próprias.

Nesse “gráfico” orgnizamos as músicas de forma que o show começasse bem agitado, depois uma leve queda, mais uma quedinha e no final que fosse até o talo!

Dessa forma o pessoal seria contagiado pela forte energia da banda já de cara, descansasse um pouco na metade do show e no fim soltasse todo agito possivel!

Fica a critério da banda, através da ordem de suas músicas, definir o rítmo do seu show. Mas é sempre bom lembrar do nosso querido Bom senso! Não deixe o nível de energia do show alto por tanto tempo que canse as pessoas, nem tão baixo que dê vontade de dormir. Também não coloque musicas rapidas e depois lentas em sequência, isso meio que “confunde” a platéia.

Prefira organizar suas músicas em Blocos.

Se por exemplo a sua banda tem 5 músicas rápidas, você pode deixar duas para o começo e as três para o final, ou três na metade e duas no final. Mas não deixe uma ou outra perdida no meio do set, por que na minha opinião, fica muito estranho.

Bom, mais uma vez eu espero ter trazido informações úteis!

Organizem suas músicas com inteligência, conheçam o público para o qual vocês irão tocar e coloquem o controle do rítimo do show em suas mãos!

Muito Som Pra Vocês!

Pedro Fids Quintana

Adversidades

Aeeew galera! Desculpa a demora pra voltar a postar haha! 

Eai, todos bem? O post de hoje é sobre adversidades.

Nunca sabemos que tipos de adversidades (fatores que dificultam) podemos encontrar.

O som da casa pode estar um lixo, pode estar chovendo ou fazendo um frio lascado que faça que todo mundo desencane de ir no seu show… Enfim, uma coisa é certa, é muito difícil que bandas iniciantes tenham shows sem nenhum tipo de adversidade.

Palcos pequenos, horários péssimos, datas sem noção (como por exemplo, o primeiro show da minha banda foi no mesmo dia do jogo do brasil na copa da áfrica do sul, NUNCA que alguem iria deixar de assistir o jogo pra ir numa casa de shows conhecer uma banda em sua primeira apresentação haha) e qualquer outra coisa que possa aparecer. 

O segredo está em estar preparado para essas “zicas”. Nunca deixe de se preparar por achar que tal show vai sair perfeito ou porque “essas coisas só acontecem com os outros”, saca só uma coisa: Show de banda iniciante e independente 100% perfeito não existe e “zica” sempre vai sobrar pra você.

Pode ser que algumas pessoas fiquem assustadas lendo isso achando que eu esteja tacando terror, mas não é essa a intenção! Pensando diferente você pode perceber que tudo isso que acontece é uma forma de “peneirar” os que querem levar uma banda a sério daqueles que só brincam de banda.

Portanto, se você realmente têm o sonho de ter uma banda de sucesso e ter o lifestyle de um rockstar, esteja preparado para as adversidades! Elas estarão lá o tempo todo, cabe a você como lidar com eles.

Muito Som Pra Vocês !!!

Pedro Fids Quintana

Performance No Palco, Algumas dicas

Salvee galera blza?  Espero que sim!

Hoje vou falar sobre performance no palco, é um assunto bem interessante já que o show em si é o resultado final de toda a correria que nós fazemos né? Ensaiamos, fritamos a cabeça pra escolher as músicas certas, as vezes viajamos varios quilômetros só pra fazer o show. Enfim, o show é o GRANDE MOMENTO!

Então nada melhor do que estar preparado! Aqui vai algumas dicas que eu aprendi por experiência própria :)

-Passe boa parte do tempo olhando para o público! Afinal o show é pra eles. Não fique olhando só pro seu instrumento ou de costas pra galera, isso não passa uma boa impressão.

-Saiba administrar a sua energia durante o show. Eu por exemplo já cheguei muitas vezes descendo a lenha, pulando pra lá e pra ca, balançando a cabeça frenéticamente já na primeira música! Quando chegou na sétima música eu já estava morto no palco, sem presença nenhuma. Usar sua energia aos poucos é o melhor negócio! Quando a música pede um agito, agite sem exageros. Chegou na música calma? Nem preciso citar que se você ficar acelerado numa música ‘baladinha’ que não tem nada a ver com a vibe dela, você vai passar por ridiculo :) Quer fazer algo espalhafatoso, mas que você ache style? Escolha um (único!) ponto específico do show pra fazer isso.

-Respeite o espaço dos outros membros da sua banda no palco. Imagine você no meio do show no seu canto fazendo um solo quando de repente toma braçada de baixo na cara ou no peito e acaba ferrando sua performance. Chato né? Pois então saiba os seus limites de movimento dentro do palco e peça aos seus parceiros que também façam isso. Quase sempre o palco é pequeno, então combine antes do show onde cada um vai ficar e sob quais circunstâncias vocês irão se movimentar.

-Ensaie a sua performance. Não estou dizendo pra você seguir a risca o que foi ensaiado, sua apresentação ficaria muito artifícial, eu sei, mas é bom passar no ensaio alguns movimentos que você gosta de fazer, pois assim você se sentirá mais seguro pra se movimentar, fora o fato de que ensaiando esses movimentos enquanto você toca, você ficará mais seguro ainda.

-Organize o palco. Faça o possivel pra não deixar nós nas fiações elétricas, deixe seus cabos dentro do seu espaço e NÃO deixe liquidos perto de fontes, pedais, tomadas e etc…  Assim a movimentação de músicos e roadies fica mais fácil e o risco de alguem tropeçar é menor.

-Não dê atenção apenas para uma pessoa ou um grupo de pessoas. Essa vai principalmente para a galera que canta ! As vezes o seu(sua) vocalista foi com a namorada(o) e passa o show todo interagindo apenas com ela(e). Isso é a coisa mais chata do mundo pra quem está assistindo. Também não fique, por exemplo, apenas no lado direito do palco interagindo com a galera de lá, vocalistas tem preferência de movimento, então você vocalista, não se reprima haha, ande por todos os espaços do palco interagindo com com as pessoas! 

-Lucidez, uma questão polêmica. Não vou dizer ” não beba antes de tocar ” ou ” não fique muito loko quando for tocar ” Cada um tem o seu ideal e a sua essência quando está sob os holofotes. Portanto apenas posso dizer pra você ter o querido Bom Senso!

Bom acho que de começo é isso ai, a medida que eu for aprendendo coisas novas, talvez eu faça um post “Performance no palco, algumas dicas pt2”. Também aceito sugestões, claro! Espero ter ajudado!

Muito Som Pra Vocês !!!

Pedro Fids Quintana

Um Texto Sobre Expectativa

Boa noite pessoas! Como estão de páscoa? Espero que esteja tudo bem :)

Hoje eu não planejava postar, pois queria fazer o show em Leme pra trazer novas experiências. Já tive a idéia desse próximo post, vou falar sobre performance no palco. Mas como o show de Leme foi adiado, eu tive um insight e percebi que esse feriado eu tive duas sensações claras! Uma de superação de expectativa e uma de quebra de expectativa. Então vou escrever brevemente sobre esse sentimento.

Primeiro vou colocar o significado dessa palavra:

expectativa s. f. 

1. Expectação; espera.

2. Esperança baseada em supostos direitos, probabilidades ou promessas.

3. Esperança.

4. Probabilidade.

 

Tendo esse significado bem claro agora, vou dividir com vocês o que aconteceu, começando pela minha experiência de superação de expectativa:

 

Fizemos um show aqui na nossa cidade, Atibaia, para uma quantidade de gente que nós não esperávamos: 800 pessoas! Lotamos a casa, a maioria já sabia cantar as nossas músicas, foi uma sensação ótima! Passamos 2 meses divulgando esse show e não sabíamos ao certo quantas pessoas iriam comparecer, particularmente eu ficaria feliz se pelo menos 400 pessoas aparecessem por lá. Então eu fui surpreendido em dobro! Cheguei em casa depois de passar o som pra me arrumar, então recebi um telefonema: “Cara, a fila do show ta gigantesca! Bombou!" Não acreditei até subir no palco e ver de fato que a pista estava lotada e todos cantavam as nossas músicas, foi lindo!


A experiência de quebra de expectativa foi justamente esse adiamento do show de Leme, estavamos muito ansiosos pra tocar pois iriamos abrir para a banda Cine e o publico esperado era de 8.000 pessoas, nunca tocamos para tanta a gente assim.

Então o que eu quero deixar aqui pra vocês que têm uma banda (ou não porque expectativa não é um sentimento exclusivo de músicos) é que a expectativa sempre vai estar ali, vocês não vão poder evitar, e na minha opinião não devem evitar. A diferença está na cabeça de cada um. Quando se deparar com esse sentimento, pense consigo mesmo se vale a pena se deixar dominar pela expectativa de realizar seus objetivos.

Uma vez dominado você pode correr o risco de quebrar a cara e sentir um baque psicológico muito maior. Minha sugestão é que independente do tipo de expectativa que você tiver, não se deixe levar, observe o fluxo dos acontecimentos e aprenda com eles. Se não deu certo dessa vez, talvez seja porque ainda não é a hora. Tente sempre ver o lado positivo das coisas e continue forte na busca dos seus sonhos!

Levem a vida com positividade e sabedoria galera!!!

Muito som pra vocês!!!

Pedro Fids Quintana

 

Começando a tour, o que levar?

Fala galera, depois de um tempão desde o meu último post,eu to aqui pra inaugurar, de fato, o The Gig’s Life!!! A tour da minha banda It’s (@itsdaily) começou semana passada, fizemos um show acústico em Bragança Paulista/SP e um show plugado em Santos/SP. Trouxe desse primeiro fim de semana algumas experiências sobre esse começo de estrada.

Pra começar, já deixo bem claro aqui que sair da sua cidade ( no meu caso de Atibaia/SP ) pra ir tocar em outra, não é só subir na van, chegar no local, tocar e ir embora. Existem diversos tipos de contratempos que podem acontecer e, acredite em mim, você só vai se lembrar deles quando o circo estiver pegando fogo!

Por exemplo: Você está na primeira música e do nada sua corda estoura, ou sua baqueta quebra e ela fazia parte do único par de baquetas que você trouxe! Pois é, transpor a música com uma corda a menos ou tocar com baqueta quebrada afeta a sua vibe negativamente e logo, sua performance.

Pensando nisso eu fiz um checklist de coisas importantes dentro e fora do palco para que a minha gig fosse a melhor possivel:

-Cordas reservas: Caso estoure a corda, você ou até mesmo o seu roadie podem trocar a corda rapidamente enquanto o resto da banda “enrola” a platéia.

-Palhetas Reservas: Pelo menos comigo, é impossivel não deixar cair minha palheta! Então eu sempre deixo umas 3 palhetas no bolso menor direito da calça. Fácil e prático!

-Baquetas Reservas: Caso você seja baterista, principalmente se for daqueles que descem a lenha como é o caso do @andrepolitani, batera da minha banda, provavelmente você pode vir a quebrar baquetas. Portanto, traga uns 3 pares ou mais, dependendo do número de shows no fim de semana.

-Ferramentas básicas: Nunca se sabe o que pode acontecer no dia da gig, então se por um acaso tenha que desparafusar alguma coisinha aqui ou apertar alguma porquinha ali, as ferramentas estão a mão pra salvar a sua vida.

-Redutor de ruído (No Feedback): Caso você vá tocar violão na gig, é bom você levar o redutor de ruído, aquela borracha que é posta na boca do violão, assim você evita microfonia e seu violão corre em alto e bom som durante o show.

-Fontes de energia e cabos reservas: Na gig você pode se deparar com uma fonte queimada ou um cabo com defeito. Então é melhor sempre estar atento a esses detalhes para não comprometer o seu som. IMPORTANTE: Nunca se esqueça de saber qual a voltagem da força elétrica!!!

-Afinador de bateria e stands reservas: Normalmente a casa onde você vai tocar disponbiliza um corpo de bateria (nem sempre em bom estado, menos ainda em qualidade de som). Então não espere uma super batera perfeitamente afinada e com todos os stands que você precisa. Não conte com o ovo no toba da galinha haha!

Também vale lembrar coisas que você não usa necessáriamente dentro do palco, pode ter certeza, fazem a diferença:

-Roupas a mais: Se você é como eu, que é 5 minutos pra ficar suado, é sempre bom levar uma roupa a mais né? Nenhuma pessoa é obrigada a te cumprimentar ou te abraçar suado! Eu levo pelo menos 3 camisetas (antes,durante e depois da gig) sempre. Nem preciso dizer que desodorante e perfume são obrigatórios, afinal você está lá representando a sua banda, o seu trabalho. A primeira impressão é a que fica!

Ah, uma toalha sempre será útil!

-Alimentação: Levar umas barras de cereal ou salgadinhos para a gig é muito válido, nunca se sabe o que pode acontecer. Tome cuidado pra não comer de mais e correr o risco de passar mal durante o show. Cada um tem um limite pra saciar a fome e se sentir bem, não ultrapasse esse limite. Sempre leve Água.

É legal levar alguns acessórios, como por exemplo MP3 Player, cremes e pastas pro cabelo(porque seu cabelo não vai ficar igual como você deixou depois de 3 horas de viagem) livros e etc… São coisas que não deixam de ser importantes, mas não vão afetar diretamente a sua gig.

Bom eu disse aqui algumas coisas importantes de serem levadas na gig, se alguem aí sabe de mais coisas importantes é só dar um toque aqui ou no Balcão! Espero ter mandado bem na inauguração e que eu tenho acrescentado algo de bom pra vocês! 

Valeu galera!!!

Muito Som!!!

Pedro Fids Quintana

Música. O motor dos seres humanos !

Quem não vive sem música?

Não importa a situação nem a hora, o fato é que a música sempre acrescentará alguma emoção nas nossas vidas, seja ela uma emoção boa ou ruim o mais importante é que ela nos faz lembrar que somos seres humanos, que ficam felizes, tristes, tem raiva, compaixão, força de vontade, enfim… Que sentem emoções. A música muitas vezes é o grande catalisador desses sentimentos. Afinal quem nunca se flagrou ouvindo uma música e lembrou de alguem especial, ou estava triste e de repente ouve aquela música que da vontade de levantar e seguir adiante com fé e coragem? Pois bem a musica influi e muito a forma como eu encaro a vida e por isso eu resolvi leva-lá como forma de trabalho e de vida ! Meu nome é Pedro Augusto Risério Matos Gutierrez Quintana ( um nome bem grande, graças aos meus pais ) tenho 20 anos, fiz faculdade de produção musical, começei a tocar guitarra em 2003 e hoje toco na banda It’s. Vou colocar aqui alguns dos meus pensamentos, falar sobre a vida que eu levo de banda, paradas técnicas sobre música, como guitarras, amplificadores, pedais de efeito e por fim dividir histórias ! Então sejam bem vindos, qualquer pergunta é só ir até o meu balcão haha! Acomodem-se, escolham a música que mais gostam e fiquem a vontade !